S Ka Oito - Edilma Lyrics

Amanheceu na avenida João Pontilho de Castro

O sol renasce e a lua já foi tarde Mandou energia, sinfonias deprazer

Lá vem Edilma cabisbaixo serafina Perdeu a chave, pulou a janelae dormiu feito um bebê

Inúmeras vezes nas tardes se embebedou

Deiz os treze é raro são às vezes É fogo atrás de fogo perdendo anoção

É cada porre mermão quase que morre Percebi que não estavarealmente se sentindo muito bem
E por isso em casa curtindo Sidney Magal
Planejando lá gastar o único real
Final das contas tomou um pileque
Fez da noite o teu sete
Ficou de 3 a 4 horas numa mesa de bar
Nem tem coragem de se levantar
É a piração que corre na veia Manda bronca na menina
Edilma faz mil climas
Quem manda é a intenção cogitada por momentos
Seja exemplo, faz a moral
Aqueça me do sol do céu da tua boca
Edilma não complica
Vá pelo coração com o passado a batimentos
Intensos, estupento
Não deixe pra o amanhã se você pode fazer hoje
Amanheceu na avenida João Pontilho de Castro

O sol foi tarde e a lua já faz parte Das regalias em loucuras doamor

Lá vem Edilma cabis baixo serafina Perdeu o trabalho, acendeu umavela pra nunca mais beber

Inúmeras vezes nas tardes se embebedou

Deiz os treze é raro são às vezes É fogo atrás de fogo procurandoemoção

É cada porre em uma dessas vai que morre Percebi que não estavarealmente se sentindo muito bem

E por isso em casa curtindo Sidney Magal
Planejando lá gastar o quase um real
Final das contas tomou um pileque
Fez da noite o teu sete
Ficou de 3 a 4 horas numa mesa de bar
Nem tem coragem de se levantar
É a piração que corre na veia Manda bronca na menina
Edilma faz mil climas
Quem manda é a intenção cogitada por momentos
Seja exemplo, faz a moral
Aqueça me do sol do céu da tua boca
Edilma não complica
Vá pelo coração com o passado a batimentos
Intensos, estupento
Não deixe pra o amanhã se você pode fazer hoje
This lyrics has been read 141 times.