Cabeça D'água - Casinha de Taipa Şarkı Sözleri

Das faces vem as cicatrizes revelam raízes natureza
Firme olhos sem brilhar
Andando em paisagens tristes nada mas importa tudo que
Existe existia lá
As cheias lá não tem vasão e aquele coração olhando a
Multidão com lágrimas no olhar,
E os rastros desses pés descalços se apagaram no tempo
Junto com seu lar
Meu canto mudo acalanto traduz o encanto dessa terra
Santa sagrado lugar
Meu sangue não corre mais nas veias sujam mãos
Alheias, dessas santas ceias, templos, falso lar.

Mas te recebo de portas abertas e quando for a hora
Tranque a porteira e jogue as chaves fora meus filhos estão
Perto e podem ir embora.

Refrão:

Adeus forno a lenha, casinha de taipá, o romeu, a
Teimosa e o pintinha, meus anzóis de pescar
Adeus meu jardim e meu jequitibar tua sombra é meu
Luto e saudades de lá...

Hoje a casa desmontada, a ceva , a palhada, a horta
Abandonada não estão mais lá
O mesmo córrego que passava embaixo da privada seco
Pelo tempo já sem respirar
Das terras onde fui criança não morre a lembrança do
Jipe e o balanço e as festas do arraiá
Das mãos do meu pai perfuradas do cabo da enxada, da lida e do
Roçar
As galinhas já se recolheram, as corujas cantaram
Anunciando a noite e mamãe quer deitar
Já findando a madrugada, o galo e a passarada, o gato
Chega em casa é hora de acordar, mas.
Bu şarkı sözü 39 kere okundu.